Em constantes investimentos em estudo e atualizações jurídicas em favor dos legítimos interesses de seus clientes.

Afastando-se de qualquer preconceito, focamos na defesa, com vigor e energia, dos interesses de devedores (pessoa física e jurídica) no âmbito fiscal, tributário, bancário, previdenciário e trabalhista, principalmente quando se trata de dívidas indevidas ou extremamente excessivas, visando impedir que o crédito se torne economicamente sem lastro ou causa. Tendo em mente que uma economia sem devedores simplesmente não existe, ou funcionaria de forma extremamente precária.

Possuimos em nosso currículo avançado conhecimento em matemática financeira e economia, especializados no ramo do Direito Bancário há mais de 10 (dez) anos, desde 2002.

O Direito Bancário como ramo independente do Direito é de criação relativamente nova, enquanto a própria idéia de Banco já estava presente desde a Roma Antiga, bem como as práticas bancárias fortemente estabelecidas com o Povo Judeu há séculos.

Justamente pelo ramo do Direito Bancário só ter surgido muito depois é que ainda temos muito a debater, discutir princípios e então normatizar. Naturalmente, hoje a maioria das normas do Direito Bancário ainda são voltadas para os interesses de bancos.

Igualmente, se o ramo do Direito Penal hipoteticamente só passasse a existir muito depois da criação do sistema prisional, é óbvio que suas normas e princípios estariam mais inclinados para a condenação sumária.

desenvolvido por: